POEMAS, POETAS, LIVROS E SOLDADOS



Por Jéssica Balbino
Foto GESTO
FEVEREIRO/2011



Bola no chão, pipa no céu e uma cortina de poluição no ar. Carros, pedestres, gravatas, marionetes. O ritmo é frenético. Muitos sem destino, em desalinho, pra lá e pra cá. Definitivamente em São Paulo todos são protagonistas.


A cerveja gelada na esquina, as crianças pra baixo e pra cima, à tarde com sabor de infância, a temperança, a sina. Estou de passagem, mera visita. Dispenso a xilocaína, afinal, desde que aqui cheguei, há poucos dias, estou anestesiada, paralisada, estarrecida. O simples vai e vem desse cotidiano já me fascina. Pra mim tudo é novo, até a sinfonia de buzinas.
Paro, respiro e interfono. Aviso quem sou. Subo dois lances de escada e entro. Travo diante de tudo que vejo. É muita informação. De onde venho, a mineira Poços de Caldas, não é comum encontrar tudo isso. Tanta coisa disposta num só lugar. Em poucos metros quadrados, pelas estantes, mesas e prateleiras nomes como Canto, Érica Peçanha, Sérgio Vaz, Ademiro Alves (Sacolinha), João Antônio, Preto Ghóez e Ferréz saltam aos olhos.


São Paulo é mesmo plural, multicultural, surpreendente por todos os cantos. Não é a toa que na região central da cidade, no segundo andar de um antigo prédio na rua 13 de maio, no tradicional bairro do Bexiga (reduto italiano da capital), a periferia, quem diria, é senhora. Ali, onde desde o carnaval de 2010 está estabelecida a livraria Suburbano Convicto, margem e centro convergem-se em um único elemento: cultura marginal (marginal, por ser uma produção excluída das grandes livrarias e bibliotecas).


A intenção da visita é, ou melhor, era, rever amigos, dar um “oi” rápido e sair rumo a outros compromissos, mas o “tsssss” da lata de cerveja sendo aberta, ali, assim, de repente, no estalo, no calor das emoções, convida para alguns minutos extras. Encostada no balcão ou sentada num sofá, que fica ao lado de um grande acervo de livros e CD´s, dispostos em pastas e arquivos, deixo o tempo passar e as conversas fluírem enquanto a noite vai caindo.


Não demora muito e novos amigos chegam, e o que era pressa, se dilui em vontade de ficar. Pioneira no Brasil, a livraria Suburbano Convicto é a única especializada em literatura marginal, com exemplares únicos e até mesmo raros, de autores já falecidos ou de edições já esgotadas.


Saraus, encontros, debates e lançamentos. Semanalmente, dezenas de pessoas passam pelo espaço e consomem cultura, ora de forma gratuita, ora em forma de investimento, quando adquirem livros, filmes ou mesmo roupas, produzidas por quem vive na periferia e a representa.
Se existissem mais livrarias como estas, com preços acessíveis, assuntos reais e um ambiente "real" talvez tivéssemos nas ruas mais poetas do que soldados.







LIVRARIA SUBURBANO CONVICTO

Rua 13 de maio, 70 – 2º andar
Bixiga/ SP

http://omenelick2ato.com/files/gimgs/134_gesto.jpg
Por GESTO
sixthstep.com.br