AMOR E SEXO, SEGUNDO CRUZ E SOUSA


Por Nabor Jr.
Ilustração Danilo Pêra
MAIO/2011



Cento e cinqüenta anos após a sua morte (faleceu no dia 24 de novembro de 1861), procurei o poeta Cruz e Sousa para uma entrevista. Caso o nosso bate-papo não lhe pareça muito atraente, não ponham a culpa exclusivamente no repórter. Afinal o entrevistado não dá entrevista há, pelo menos, 150 anos.


OMENELICK2ºATO – Seu Cruz! A escravidão acabou


CRUZ E SOUSA - Para Sempre?


OMENELICK2ºATO – É triste dizer isso, mas, mesmo com o fim da abolição o negro ainda é visto como um ser inferior. Acredita que você, o Cisne Negro, um dos precursores do simbolismo no Brasil é praticamente desconhecido da população?


CRUZ E SOUSA - Triste, bem triste.


OMENELICK2ºATO – Algum dia teve raiva ou rancor do povo brasileiro por esse desconhecimento da nossa própria históra?


CRUZ E SOUSA - Nem um dia sequer, nem um só dia.


OMENELICK2ºATO – É que você tem um bom coração. Mas a verdade é que embranqueceram nossa história seu Cruz. Assim, é imprescindível que comecemos esta conversa com a seguinte pergunta: Como podemos defini-lo?


CRUZ E SOUSA - Um riso que atravessa séculos como o de Voltaire.


OMENELICK2ºATO – Aprecio o modo como trata o sensualismo e a estética romântica na sua obra. O que você pensa do homem que não ama?


CRUZ E SOUSA - Estás morto, estás velho, estás cansado!


OMENELICK2ºATO - Você deve ter sido um cara que amou muito.


CRUZ E SOUSA - O amor é uma escada que tem uma extremidade na glória e outra no abismo.


OMENELICK2ºATO - Como assim?


CRUZ E SOUSA - É como o cáustico; cura mas deixa os sinais evidentes.


OMENELICK2ºATO - Mas, você amou muito ou não?


CRUZ E SOUSA - Sim!


OMENELICK2ºATO - Também foi amado?


CRUZ E SOUSA - Só raramente, por singularidade, uma ou outra mulher ama o artista.


OMENELICK2ºATO - Que péssimo. Quer dizer, pra quem tanto amou como o senhor...


CRUZ E SOUSA - Pensa-se fatalmente na morte...


OMENELICK2ºATO - Imagino e não desejo isso nem pro meu pior inimigo. O que é o amor pra você?


CRUZ E SOUSA - Chama secreta que nas almas passa. E deixa nelas um clarão sidéreo.


OMENELICK2ºATO – Etâ cabra romântico! O que mais gosta em uma mulher?


CRUZ E SOUSA - Tudo!


OMENELICK2ºATO - Boa! Vou formular a pergunta novamente. O que não pode faltar em uma mulher?


CRUZ E SOUSA - Sangue quente.


OMENELICK2ºATO - Concordo. E mais o que?


CRUZ E SOUSA - A chama do teu corpo.


OMENELICK2ºATO - Caramba! Gosta da fruta mesmo. Existe algo melhor que mulher?


CRUZ E SOUSA - Nem a lua, nem as estrelas.


OMENELICK2ºATO - E se não for para estar com uma mulher, o que prefere ficar fazendo?


CRUZ E SOUSA - Fumando cachimbo e bebendo cerveja.


OMENELICK2ºATO - Aprecio uma cervejinha também. Mas acho melhor voltarmos para as mulheres. E pra onde você ia quando encontrava uma mulher que lhe interesasse?


CRUZ E SOUSA - Na colina da vila trepada.


OMENELICK2ºATO - O que rolava lá?


CRUZ E SOUSA - Tudo!


OMENELICK2ºATO - Lembra quando foi a última vez que...bom, o senhor sabe o que quero dizer


CRUZ E SOUSA - Foi numa dessas noites taciturnas. Foi num momento de saudade e tédio. De grande tédio e singular Saudade.


OMENELICK2ºATO - Quem foi a vítima?


CRUZ E SOUSA - Julieta dos Santos.


OMENELICK2ºATO - Belo nome. O que ela tinha de especial?


CRUZ E SOUSA - As harmonias deliciosas da tua carne.


OMENELICK2ºATO - Desculpa a pergunta, mas fiquei curioso. Na intimidade, o que vc dizia pra ela e que possa ser publicado, é claro.


CRUZ E SOUSA - Lá vem a loba que devora os sonhos.


OMENELICK2ºATO - Eitâ! Como ele te respondia?


CRUZ E SOUSA - Tu és o louco!


OMENELICK2ºATO - E depois, rolava um sentimento?


CRUZ E SOUSA - Às vezes.


OMENELICK2ºATO - Como assim?


CRUZ E SOUSA - És flor, mas como flor és perigosa.


OMENELICK2ºATO - Entendi. O senhor é daqueles que pega mas não se apega, né.


CRUZ E SOUSA - Não conheces a sombra e os golpes da emboscada.


OMENELICK2ºATO - Pior que conheço viu seu Cruz. Quem nunca sofreu por amor, né. Nada melhor do que a liberdade não acha?


CRUZ E SOUSA - Sim! Sim!


OMENELICK2ºATO - Qual o significado dela pra você?


CRUZ E SOUSA - Andar mais puro, mais junto à natureza e mais seguro.


OMENELICK2ºATO - Nada como a solteirice né seu Cruz. Você é bem malandro...


CRUZ E SOUSA - Eu sei disso!...


OMENELICK2ºATO - Pô seu Cruz, o papo tá bom mas temos que encerrar por aqui. Quer deixar algum recado?


CRUZ E SOUSA - Quando te abraçarei na Eternidade?!


OMENELICK2ºATO - Que papo é esse?


CRUZ E SOUSA - O mundo para ti foi negro e duro.


OMENELICK2ºATO - Olha, por culpa da minha melanina, negro ele sempre foi. Agradeço o convite mas estou muito bem aqui.


CRUZ E SOUSA - Junto da Morte é que floresce a Vida!


OMENELICK2ºATO - Seu Cruz, na boa, pode florescer até nota de 500 reais. Ainda sou muito novo. Obrigado pelo convite.


CRUZ E SOUSA - Podes andar no mundo sem receio.


OMENELICK2ºATO - Amém!









NOTAS DE RODAPÉ

As respostas da entrevista estão contidas nas seguintes publicações do poeta Cruz e Sousa: Broquéis (1893), Missal (1893), Tropos e Fantasias (1885), Evocações (1898), Faróis (1900), Últimos Sonetos (1905) e o Livro Derradeiro. Inspirado no texto Entrevista Póstuma com Noel Rosa, realizado pelo jornalista Sérgio Cabral para o jornal O Pasquim, em 1973.



http://omenelick2ato.com/files/gimgs/133_cruz-site-1_v2.jpg
danilopera.wordpress.com