VIAGEM A TIMBUKTU – FOTOGRAFIAS DE EDMOND FORTIER – DA COSTA DA GUINÉ ÀS MARGENS DO SAARA EM 1906

LANÇAMENTO DA EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA CHEGA À CIDADE DE CACHOEIRA, NO RECÔNCAVO BAHIANO





TEXTO LUCIANE RAMOS-SILVA
AGOSTO 2016





Uma mulher Fulani preciosamente adornada no cabelo e no colo. Sua feição retilínea inspira dignidade. Estaria ela tranquila com o clique do fotógrafo? Um grupo de trabalhadores aguarda em fila a entrega do imposto compulsório pago em tecidos de algodão - face indelével da presença colonial. Seria aquela uma conduta unicamente passiva e resignada? Quem cardou, fiou e teceu aqueles têxteis? O retrato de Samouri Toure, célebre e polêmica resistência frente à ocupação francesa na África do Oeste, findaria alí a longa trajetória de resistência ao imperialismo francês?


Essas e outras dezenas de imagens compõem a obra Edmond Fortier - Viagem a Timbuktu: Fotografias da África do Oeste em 1906, que dá origem à exposição fotográfica em curso na Fundação Hansen Bahia, situada no município de Cachueira, terra da respeitada irmandade da Boa Morte. A exposição é fruto do trabalho que a historiadora Daniela Moreau construiu a partir de uma minuciosa pesquisa mirando os postais fotográficos criados e comercializados por Edmond Fortier (1862-1928), fotógrafo que no final do século XIX rumou para a África do Oeste e produziu registros raros de contextos cujo conhecimento é fundamental para compreendermos a história daquela região. Fortier visitou cerca de 100 localidades que hoje constituem os territórios do Senegal, Guiné Conacry, Mali, Costa do Marfim e Benin.


As 465 páginas do livro revelam conteúdos que nos convidam a viajar por aquelas paisagens, atravessando suas terras e gentes. De maneira consistente a obra situa, contextualiza e problematiza os cenários. A análise da autora abre caminhos para reflexões dentro de um campo de produção de conhecimento que merece atenção no Brasil – o dos estudos africanos.


E se a história oficial ofereceu pouca relevância à longa trajetória civilizatória do continente antes da colonização, Viagem a Timbuktu adentra tempos históricos onde os regimes coloniais davam seus passos iniciais e as instituições e relações estruturadas nas formas locais de desenvolvimento ainda pulsavam: o comércio inter-regional, os centros de disseminação de saberes e espiritualidades, as tecnologias e criatividade na arquitetura, tecelagem, ourivesaria, musica e artes performáticas.


Os cartões postais que Daniela Moreau analisa no livro são um recorte a partir do que o fotógrafo produziu no ano de 1906 e retratam diversidades culturais da costa Atlântica até o Saara. A leitura contextual do acervo de imagens nos ensina sobre a complementariedade entre aquelas culturas – quando pesca, pastoreio e agricultura conviviam na fluência das estações; ou sobre as trocas que ocorriam nas areias do deserto muito antes da chegada dos europeus: sal, noz de cola e tecidos.


Esses cartões postais tornam-se documentos históricos valiosos para a compreensão da história da África do Oeste de maneira ampla. As imagens da exploração da borracha, do pagamento de impostos em produtos nativos, por exemplo, são referência chave para desconstruir aquilo que a historiografia nem sempre aponta com clareza – que as colônias eram sustentadas completamente pelas populações africanas.


Avistar as margens do Níger povoadas por pirogas de pescadores; Olhar de frente a legendária mesquita de Djenné em sua arquitetura de milenar de adobe ou a poderosa cidade de Timbuktu, porta de entrada para o Saara. Mirar os mercados ao ar livre, os fornos comunitários, a preparação da manteiga de karité, a pescaria das mulheres. Compreender o fogo e o fel do trabalho na construção das ferrovias. Perceber que por trás da genérica expressão tam tam usada pelos franceses para nomear festejos e rituais, havia cerimônias, fazeres e saberes de sentidos amplos.


As imagens falam, mas só o olhar da pesquisa comprometida e responsável pode trazê-las para o presente, revelando aquilo que a história omitiu ou deixou à margem.


Viagem a Timbuktu nos desafia a expandir as percepções sobre povos que tem história e agência.





SERVIÇO


EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA “VIAGEM A TIMBUKTU - FOTOGRAFIAS DE EDMOND FORTIER - DA COSTA DA GUINÉ ÀS MARGENS DO SAARA EM 1906
QUANDO 12 DE AGOSTO A 30 DE SETEMBRO
LOCAL FUNDAÇÃO HANSEN BAHIA – CACHOEIRA/BA


OBS: LIVRO À VENDA ONLINE
EDMOND FORTIER – FOTOGRAFIAS DA ÁFRICA DO OESTE EM 1906
DANIELA MOREAU
EDITORA LITERART




http://omenelick2ato.com/files/gimgs/519_timbuktu-5.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/519_timbuktu.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/519_timbuktu-4.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/519_timbuktu-2.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/519_timbuktu-3.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/519_timbuktu-1.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/519_timbuktu-7.jpg