A INDEPENDÊNCIA É UMA ESCOLHA DE QUEM NÃO QUER ESPERAR. SE VOCÊ ACREDITA, APÓIE. FAÇA MAIS DO QUE ELOGIAR SE QUER CONTINUIDADE


Por Nabor Jr.
Foto Janaína Castelo
Novembro/2008



Trinta e dois anos de idade, onze anos de rimas, 20 anos de skate, quase 84 mil acessos no My Space, 7 indicações ao prêmio Hútuz e 6 shows marcados para o mês de novembro. Os números não mentem, o Guerreiro Silencioso vem fazendo barulho no cenário musical independente brasileiro e, ao contrário do real significado do seu a.k.a, Marcus Vinicius Andrade e Silva, ou simplesmente Kamau, deixou o silêncio de lado para responder a algumas perguntas de O Menelick. Confira como foi.



Nome?
Marcus Vinicius Andrade e Silva


Porque Kamau?
Foi tirado de um livro de nomes africanos. Significa Guerreiro Silencioso em Swahili. Acho que tem a ver com o meu jeito de tentar fazer as coisas, de trazer mudança.


Idade?
32


Onde nasceu?
São Paulo


Como o Rap surgiu na sua vida?
O rap apareceu do nada quando eu tinha 12 anos, pelo rádio. Nessa época comecei a andar de skate também e conheci o Robson que morava perto de casa. O irmão dele é dj até hj e eu conheci muito do rap na casa deles. E muito também nos vídeos de skate. Comecei a rimar com 21 anos, depois de uma sugestão do Kléber, irmão do Robson, que me perguntou porque eu não rimava já que tinha boas idéias e cantava as rimas dos gringos que eu ouvia. O Robson se tornou Ajamu, e foi meu primeiro DJ quando, junto com Sagat, formamos o Conseqüência, em 97.


O que seria, ou quem seria, o Kamau sem o Rap?
Não faço idéia. Talvez tivesse me empenhado um pouco mais no skate ou seria um professor de matemática.


Como surgiu a idéia das parcerias do seu mais recente álbum "Non Ducor Duco"?
Proximidade, afinidade e qualidade. E o que cada um poderia acrescentar à música para a qual fora convidado.


Fora do universo musical, o que gosta de fazer?
Andar de skate e ouvir música. Não faço muito mais que isso.


Como avalia, profissionalmente, o ano de 2008 para você?
Um recomeço. Um ponto de partida pra algum lugar onde ainda não cheguei. Depois do lançamento do disco fiquei no limbo dos elogios ao trabalho mas sem trampo de verdade. Agora estão começando a aparecer os shows e convites, mas poucos querem trabalhar com seriedade.


Hutuz?
Já fui indicado outras 3 vezes: Com o Consequência em 2002 (melhor Demo), com o Simples em 2005 (melhor Demo) e 2006 (melhor dj (Will) e revelação). Quando ganhamos com o Consequência não mudou nada em relação à carreira. Mas os tempos são outros e cabe também a mim trabalhar o peso dessas indicações a meu favor. É a única premiação nacional que temos e reúne formadores de opinião dos mais diversos pontos do país. Então é importante de algum modo.


Algumas pessoas que vivem o Rap, dizem que o Hutuz é uma premiação falída e comprada. Tem algo a falar sobre este tipo de declaração?
Acho que muitos dizem sem saber. Ganhei uma vez e não foi por filiação ou compra. Não sei se funciona assim, mas tudo que funciona tem os que defendem e os que falam mal. Então não seria diferente com o Hutuz.


Planos para 2009?
Colocar o Plano (Audio) em prática. Tenho alguns projetos que serão divulgados à medida que forem saindo da prancheta.


Como as pessoas devem fazer para adquirir o seu CD?
Em São Paulo nas lojas: Pavilhão, Charms, Canal 24, Porte Ilegal, Sigilo e Zeitgeist (Galeria do Rock). E nas lojas: Colex, Gringos, Trucks, Flórida, Mágica do Hip Hop, Pegada Preta e Cash Beat (na Galeria Presidente). Para o Brasil (por correio) : http://www.gringoscds.com.br/ e http://www.centralhiphop.com.br. Mais informação pelo e-mail planoaudio@gmail.com pra saber se há um revendedor na sua cidade.


Considerações finais?
A independência é uma escolha de quem não quer esperar. Se você acredita, apóie. Faça mais do que elogiar se quer continuidade. Valeu pelo espaço. Non Ducor Duco nas ruas.





+ KAMAU

myspace.com/kamau76


http://omenelick2ato.com/files/gimgs/168_kamau.jpg
KAMAU POR JANAÍNA CASTELO
flickr.com/photos/janainacastelo