BEM VINDO AO CLUBE

EMBLEMÁTICO NA HISTÓRIA DO HIP HOP PAULISTANO,
CLUBE DO RAP COMPLETA UM ANO DESDE A SUA RETOMADA


Por Indira Nascimento
MAIO/2011



Considerada uma das mais significativas festas de rap da cidade de São Paulo, o pioneiro Clube do Rap, que em meados da década de 90 firmou-se como um dos mais importantes projetos de valorização da cultura hip hop do país, após um hiato de oito longos anos, completa neste mês de maio um ano desde a sua retomada, em 2010.


Tradicional festa de Hip Hop que fez história no circuito paulistano, quando era organizado pelo MC Hébano (do grupo Potencial 3), hoje, estabelecida no Studio SP, e comandada pelo seu irmão, James Lino (integrante do mesmo grupo) que reavivou o projeto junto com os DJs Kl Jay e Roger, volta a ser referência quando o assunto é o rap produzido em São Paulo.


Nesses poucos mais de 365 dias de atividade, o projeto, que sempre caracterizou-se como um espaço de vanguarda da cena rap paulistana, “muitos grupos de destaque na cena, como o Trilha Sonora do Gueto, por exemplo, fizeram se não a primeira, uma das primeiras apresentações no Clube do rap”, lembra James Lino, já recebeu nomes como MV Bill, Consciência Humana, Sandrão,Tio Fresh, Sombra, Ogi, Akira Presidente, Max BO, Lívia Cruz, Black Alien, RZO, entre outros, confirmando sua representatividade entre dj´s, mc´s e público.


Em entrevista concedida ao blog da revista O Menelick 2º Ato, James Lino relembra a os anos de glória do projeto, fala sobre a trajetória do Clube, o início, a retomada e confirma a boa fase por qual passa o rap nacional.



Como surgiu o Clube?
O Clube do Rap surgiu em meados de 1986 aqui no centro de São Paulo. Organizado por diversos ícones do movimento Hip O, alguns deles estão ainda hoje em atividade e outros em memória. Ele foi feito em vários lugares até que o Kl Jay e o Hébano do Potencial 3, meu irmão (pessoa que me inseriu no movimento hip hop) começaram a fazer o Clube do Rap, no Clube da Cidade em Diadema, o antigo Xereta. Com a proposta de criar um laboratório pra quem estava começando. Ele trabalhou forte na divulgação durante um ano que depois fluiu naturalmente... Muitos grupos fizeram se não a primeira, uma das primeiras apresentações no Clube do rap. O próprio Racionais Mc’s nós conseguimos levar para tocar lá, levamos também MV Bill, GOG, SNJ, DMN, Trilha Sonora do Gueto quando ainda estavam começando, Realidade Cruel, Consciência Humana... Diversos grupos. Eu nessa época era como um estagiário fazia de tudo, ficava no caixa, recepcionava os grupos...


E porque terminou?
A gente funcionou em Diadema por quatro anos até que a Lei Seca veio... Então o dono da casa que já estava cansado de trabalhar a noite se tornou evangélico. E os outros dois donos que assumiram depois não conseguiram entender a proposta e então a gente parou... Ficamos de 1999 até 2002.


Porque o nome Clube do Rap?
Baseado no Clube do Samba que existia, se não me engano, no Rio de Janeiro
Depois de oito anos parado o que motivou a retomar, de quem foi a idéia?
Nesses oito anos a gente viu muita gente cobrar a volta do Clube do rap. As pessoas reclamavam que não tinha evento de rap que os construtores (pessoas que fazem o Rap) pudessem ir e se identificar de verdade. E em 2010 foi o momento oportuno. A Cyntia Old School e eu já vínhamos conversando, tínhamos o desejo de trabalhar juntos, quando ela me deu a idéia de retornar. Daí então, eu liguei para o Hébano o convidando, ele disse “Mano, não vou poder participar porque tenho outros compromissos, mas no que puder vou colaborar...” Então eu e a Cyntia fomos falar com KL Jay, que para nossa surpresa adorou e aceitou a idéia de cara! Só fez uma exigência, que o Roger também discotecasse como era no inicio. Então, tirando o Hébano, nós voltamos com o time original. E a Cyntia foi fundamental para a nossa volta.


A palavra Clube remete a algo fechado, restrito. Contudo a intenção do projeto é de não apenas fortalecer mais também difundir o movimento hip hop para o maior número de pessoas. Não é um pouco contraditório?
Não, por que o que a gente quer é que as pessoas se sintam incomodadas e se questionem, “Por que o Clube dele?”. E assim que ela pisar lá ela vai compreender que o rap também pode ser o seu clube. Porém as pessoas precisam compreender que o rap vai muito além das batidas, vai muito além do grafite... É um sentimento que você se apropria e a partir daí você começa a perceber que são diversas realidades, diversas mentalidades, diversos temas, diversas batidas de várias mentes e ao mesmo tempo todo mundo indo para o mesmo caminho, por vários caminhos diferentes. E tudo isso faz você parte do Clube do Rap...


Quem é o James Lino?
James Lino é um MC, uma pessoa esforçada para caramba! Pessoa que gosta de suar a camisa em tudo que faz, acho que eu tenho um espírito tribal africano. Eu gosto de me sentir útil para as pessoas, e a partir do movimento Hip O eu pude conhecer mais minha identidade, conhecer mais as minhas origens... Tem muito mais pra conhecer, a Cultura Negra é gigante, uma vida é pouco para conhecer tudo. Eu também me tornei Orientador sócio-educativo, dou oficinas de Hip O, trabalho com oficina poética de Mc’s... Procuro passar a importância da poesia para os jovens...


O que é o rap para você?
O Rap é o meu Clube!





SAIBA MAIS

Facebook: James Linos
Twitter : @JamesLino

http://omenelick2ato.com/files/gimgs/154_clube-do-rap-9-1.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/154_clube-do-rap-8.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/154_clube-do-rap-7-1.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/154_clube-do-rap-4.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/154_clube-do-rap-6.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/154_clube-do-rap-10.jpg
http://omenelick2ato.com/files/gimgs/154_clube-do-rap-5.jpg